03 janeiro 2007

Porsche 911 Carrera RS - J.-P. Nicolas - V. Laverne (Rali de Monte Carlo de 1978)

Esta miniatura pertence à colecção RallyCar Collection.
O famoso construtor alemão sempre projectou belos carros de performances excepcionais. O Porsche 911 Carrera RS é um desses exemplos, um belo carro, fiável e resistente, com provas dadas nas competições automobilísticas. O piloto francês, J.-P. Nicolas era fiel às marcas francesas, Renault e Alpine, mas em 1978, uma semana antes do Rali de Monte Carlo, perdeu o patrocínio que tinha e decidiu-se pelo aluguer dum Porsche 911 Carrera RS com a ajuda da Gitanes.

Para o campeonato de 1978, houve uma alteração dos regulamentos que, basicamente, consistia no seguinte: todas as alterações que fossem feitas nos carros necessitavam agora, para homologação, que se construíssem 400 carros. Até aqui bastava que se homologassem as peças soltas. Isto na prática levou a que o Lancia Stratos tivesse que voltar ao motor original de 12 válvulas em vez das 24 para participar nas provas. Como é óbvio, esta alteração das regras também fez com que muitas equipas equacionassem as suas participações no campeonato e assim a Fiat ficou praticamente sozinha na luta pelo título. Houve outra novidade que foi a criação da Taça FIA de Pilotos, que precedeu o Campeonato do Mundo de Pilotos que iria arrancar em 1979.

O campeonato começou com uma derrota em toda a linha da Fiat que não conseguiu colocar nenhum carro no pódio. O destaque foi para J.-P. Nicolas que venceu o Rali de Monte Carlo com o Porsche 911 Carrera RS. Foi o primeiro piloto privado a vencer no Monte Carlo desde 1956. No Rali da Suécia, a Fiat procurou refazer-se da derrota de Monte Carlo, mas a Ford dominou e venceu através do sueco Waldegaard, Markku Alen (finlandês) ainda deu o terceiro lugar à Fiat. No Rali Safari, nova vitória de J.-P. Nicolas, desta vez ao volante do Peugeot 504 V6 Coupé. No Rali de Portugal, finamente, a vitória do Fiat de Markku Alen. Mas a Ford não lhe facilitou a vida, Waldegaard chegou a dominar e Mikkola (finlandês) pressionou Alen até ao último troço. Foi o terceiro triunfo de Alen no rali português. Nicolas ficou em terceiro lugar com um Ford Escort, foi o seu terceiro rali com o terceiro carro diferente!
Nos três ralis seguintes (Acrópole, Mil Lagos e Quebeque), três vitórias da Fiat: Walter Rohrl (alemão) vence na Grécia, Alen vence na Finlândia e Rohrl, no Canadá, consegue a quarta vitória consecutiva da Fiat no campeonato.

Para o Rali de San Remo, a Fiat decidiu deixar Alen sem carro e a Fiat voltou a falhar, desta vez em casa. Markku Alen decidiu participar com o Lancia Stratos de 12 válvulas e ganhou a corrida na primeira vez que utilizou um Stratos. Verini ficou em segundo lugar, foi o único Fiat 131 oficial a terminar. No Rali da Costa do Marfim, J.-P. Nicolas com um Peugeot 504 V6 Coupé volta a vencer. O domínio da Peugeot ficou completo com o segundo lugar do finlandês Makkinen. A Fiat dominou por completo na Volta à Córsega ocupando os três lugares do pódio, com destaque para o vencedor, o francês Bernard Darniche. A terminar o campeonato, no Rali RAC, a Ford manteve o domínio de vários anos na prova inglesa. Os Ford Escort ocuparam os três lugares do pódio. Hannu Mikkola foi o vencedor, seguido de Waldegaard e Brookes. A Fiat venceu o campeonato de 1978 com 134 pontos (5 vitórias), sendo a Ford (2 vitórias) segunda classificada, a par da Opel, com 100 pontos. Makku Alen venceu a Taça FIA de Pilotos.

Sem comentários: