12 junho 2007

MG Metro 6R4 - J. McRae - I. Grindrod (Rali RAC de 1986) e D. Auriol - B. Ocelli (Campeão Francês de Ralis em 1986)

Hoje apresento duas miniaturas sobre o mesmo carro: o MG Metro 6R4 de Jimmy McRae (pai de Colin McRae) no RAC de 1986 e o MG Metro 6R4 de Didier Auriol, campeão francês em 1986. A primeira miniatura pertence à colecção RallyCar Collection e a segunda à colecção 100 Anos de Desporto Automóvel.
O MG Metro 6R4, da Austin Rover, foi um projecto lançado em 1984 pela marca britânica para correr no Grupo B do Mundial de Ralis. O MG Metro 6R4 tinha tracção integral, com uma potência de 400 cv mas o motor era aspirado, os adversários (Peugeot, Lancia, Audi e Ford) utilizavam nos seus modelos motores com turbo. Não fosse a proibição do Grupo B no final de 1986 e muito possivelmente o 6R4 teria evoluído para um motor turbo...
O MG Metro 6R4 estreou no RAC de 1985 com um excelente terceiro lugar. Tony Pond foi o piloto britânico escolhido para liderar a equipa. A participação no mundial de ralis de 1986 foi mais extensa mas os acidentes fatais ocorridos nesse ano ditaram o fim do Grupo B. Como consequência, as várias marcas envolvidas, que não queriam despender mais recursos em projectos sem futuro, resolveram limitar os seus programas de ralis. Apenas a Lancia e a Peugeot se mantiveram na luta pelos títulos.
O MG Metro 6R4 alcançou mais sucesso no campeonato britânico de ralis e nos rallycross. Em 1986, o piloto francês Didier Auriol sagrou-se campeão francês de ralis com um MG Metro 6R4.


(continuação)
Após a polémica do Rali de San Remo, os finlandeses Markku Alén (Lancia) e Juha Kankkunen (Peugeot) chegavam ao RAC separados por apenas dois pontos na discussão do campeonato de pilotos quando faltavam apenas dois ralis.
A Lancia participava com Alén e Mikael Ericsson (sueco) e a Peugeot com Kankkunen e Timo Salonen (finlandês). A luta pela vitória foi intensa. Enquanto que Ericsson abandonava, Alén ficava só a lutar contra os dois pilotos da Peugeot. A vitória foi para Timo Salonen, Markku Alén ficava em segundo lugar e ganhava vantagem no campeonato sobre Kankkunen, que foi o terceiro. A MG levou uma verdadeira armada para o RAC. Dos 7 MG Metro 6R4, dois abandonaram (Marco Duez e Harri Toivonen) e os restantes cinco terminaram nas seguintes posições: Tony Pond na 6ª posição, Per Eklund na 7ª posição, Jimmy McRae na 8ª posição, David Llewellin na 9ª posição e Malcolm Wilson na 17ª posição.
No último rali do campeonato, o Rali Olynmpus, nos EUA, a Peugeot e a Lancia apenas levaram Kankkunen e Alén para discutir o título de campeão de ralis de 1986. O rali iria ser disputado ainda sob a incógnita da decisão que a FIA iria tomar sobre a polémica desclassificação da Peugeot no Rali de San Remo. Markku Alén fez uma prova irrepreensível e venceu o rali americano tornando-se finalmente campeão do mundo de ralis... até à decisão da FIA. Em Dezembro a FIA decidiu-se pela anulação dos resultados do Rali de San Remo e o título mudou de mãos. Juha Kankkunen sagrou-se campeão em 1986 com 118 pontos (3 vitórias) e Alén ficou em segundo lugar com 104 pontos (2 vitórias, uma delas no San Remo). A Peugeot foi campeã com 137 pontos (6 vitórias) e a Lancia ficou na segunda posição com 122 pontos (2 vitórias, na realidade venceu quatro ralis: no San Remo os resultados foram anulados e a vitória de Alén no Olympus não contava para o campeonato de marcas).
Assim terminava um ano negro no mundial de ralis. Foi o fim do Grupo B. No ano seguinte o campeonato mundial de ralis seria disputado com os carros do Grupo A.

1 comentário:

PGAV disse...

Caro José,

Aqui tem uma novidade para mim! Não sabia que o "pequenote" Metro andava nessas andanças de rally's!

Miniatura engraçada!

Abraço