28 junho 2007

Ferrari 126C2 - Didier Pironi (1982)

Esta miniatura é da marca Brumm.
A Ferrari em 1982 teve quatro pilotos a conduzir o 126C2: Gilles Villeneuve, Didier Pironi, Patrick Tambay e Mário Andretti. No início do campeonato a dupla de pilotos era composta pelo canadiano Gilles Villeneuve e pelo francês Didier Pironi. Após a morte de Villeneuve, no GP da Bélgica, a Ferrari participou em três GP’s (Mónaco, EUA e Canadá) apenas com o carro de Pironi. No GP da Holanda, o francês Patrick Tambay aparece no Ferrari 27, substituindo assim Villeneuve no resto da temporada. Tambay tinha-se estreado na Formula 1 em 1977 pela Ensign. Nos dois anos seguintes corre pela McLaren. Em 1980 não corre na Formula 1 e no ano seguinte faz primeira metade do campeonato pela Theodore e a segunda pela Ligier. Em 1982 fica sem equipa até que a Ferrari o contrata para substituir o falecido Villeneuve. Até aqui, Tambay tinha apenas como melhor resultado na Formula 1 um 4º lugar, alcançado no GP da Suécia de 1978 (McLaren).
No GP da Alemanha, Pironi tem um grave acidente no qual sofreu várias fracturas nas pernas que o impediram de realizaram o resto do campeonato e de prosseguir a sua carreira na Formula 1. Com mais este acidente, a Ferrari vê-se forçada a contratar outro piloto para substituir Pironi. Mário Andretti, Campeão do Mundo em 1978 (Lotus) e ex-piloto da Ferrari (1971 e 1972), foi o escolhido para correr nos dois últimos GP’s da temporada. Andretti já tinha corrido pela Williams no GP dos EUA (Long Beach) de 1982, logo a seguir a Carlos Reutemann se ter retirado da Formula 1.
Um ano terrível para a Ferrari. Apesar da vitória no campeonato de construtores.

(continuação)
No GP da Holanda, a Ferrari, novamente com dois carros, vence a corrida com Pironi a impor-se aos adversários. Nelson Piquet (brasileiro) fica em segundo lugar com o Brabham BMW Turbo. Keke Rosberg (finlandês) consegue levar o Williams Ford à terceira posição.
No GP da Grã-Bretanha, em Brands Hatch, Rosberg consegue a sua primeira pole-position na Formula 1 mas não termina a prova. O austríaco Niki Lauda (McLaren) consegue a sua segunda vitória depois de regressar à Formula 1, nesse ano. Os dois Ferrari completaram o pódio, Pironi em segundo e Tambay em terceiro. Neste GP, Gordon Murray, da Brabham, reintroduziu o reabastecimento nas corridas de Formula 1. A última vez que esta táctica tinha sido utilizada tinha sido nos anos cinquenta. Murray concluiu que o motor BMW Turbo necessitava de mais combustível que os Ford aspirados logo o Brabham pesava mais que os adversários. Pensou então que se o Brabham corresse com menos combustivel (mais leve) e pneus macios poderia fazer uma paragem ao meio da corrida para reabastecer e mudar de pneus e mesmo assim vencer a corrida. Esta teoria não chegou a ser completamente posta em prática nesta corrida porque Piquet abandonou à 10ª volta quando liderava.
No GP da França o domínio pertenceu à equipa da casa, a Renault. René Arnoux faz a pole-position e lidera a corrida seguido de Alain Prost. Na equipa Renault teria ficado combinado que Arnoux deixaria passar Prost para a frente porque este estava em melhor posição no campeonato. Contudo Arnoux não cumpriu o que estava acordado e venceu o GP da França. Prost ficou com o segundo lugar e Pironi foi o terceiro. Foi a primeira dobradinha da Renault.
Nos treinos do GP da Alemanha, sob uma intensa chuva, Didier Pironi embate na traseira do Renault de Prost e sofre várias fracturas nas pernas. Pironi não viu o Prost porque estava encoberto pelo “spray” dos carros. Foi um acidente muito semelhante ao de Villeneuve mas a Ferrari já tinha reforçado o monocoque depois da morte do canadiano. Didier Pironi ainda tentou, depois de uma longa recuperação, regressar à Formula 1 mas esse regresso nunca se chegou a concretizar. Pironi viria a falecer, em 1987, num acidente ocorrido numa prova de motonáutica.
Patrick Tambay, ao volante do Ferrari, vence a corrida germânica. Foi a sua primeira vitória na Formula 1. René Arnoux (Renault) ficou em segundo lugar e Keke Rosberg (Williams) foi o terceiro. Ficou para a história da Formula 1 a cena de pugilato protagonizada por Nelson Piquet (Brabham) e o chileno Eliseo Salazar (ATS). Piquet liderava a corrida quando, à 18ª volta, ao ultrapassar Salazar numa das chicanes, o chileno atrapalhou-se e embateu na traseira do Brabham de Piquet, ficando os dois fora da corrida. Piquet furioso esmurrou Salazar em directo na televisão. Muitos anos depois, Paul Rosche, da Brabham, confidenciou que depois da corrida o motor BMW foi aberto e verificaram que apenas duraria mais duas voltas.
Após 12 GP’s, no campeonato de pilotos Pironi era o primeiro com 39 pontos, seguido de Watson (30 pontos) e Rosberg (27 pontos). Nos construtores, a Ferrari era líder com 61 pontos.
(continua)

Os pilotos do Ferrari 126C2 em 1982 foram: Gilles Villeneuve, Didier Pironi, Patrick Tambay e Mário Andretti.
Vitórias: 3 (D. Pironi: 2; P. Tambay: 1)
Pole-position: 3 (D. Pironi: 2; M. Andretti: 1)
Melhor volta : 2 (D. Pironi: 2)

Sem comentários: