05 fevereiro 2007

Renault RS01 Turbo - Jean-Pierre Jabouille (1977)

Esta miniatura é da marca Quartzo.
No GP da Grã-Bretanha de 1977 aparecia na Formula 1 e pela primeira vez um carro de motor turbo, o Renault RS01. Esta é a miniatura do Renault RS01 guiado pelo francês Jean-Pierre Jabouille nesse GP.
A Renault já tinha decidido entrar para a Formula 1 há alguns anos mas só em finais de 1976 anunciou os seus planos. A Renault, que já era bem sucedida no Campeonato da Europa de Sport 2 litros com um motor V6 turbo, aproveitou uma lacuna no Regulamento Técnico da Formula 1 que impedia o uso de turbos em motores a gasolina, apenas se referindo a motores comprimidos, não definia se eram comprimidos por compressores atmosféricos ou por turbos. E assim deu-se início à Era Turbo na Formula 1, que só iria terminar em 1988. Diz-se que na época nenhum outro construtor deu muita importância a este facto, até houve alguns comentários menos abonatórios sobre a falta de fiabilidade do carro francês.

Associada à Renault, nesta nova aventura na Formula 1, estavam também a petrolífera Elf e a Michelin, que também inovava com a tecnologia dos pneus radiais.
Contudo o início da Renault na Formula 1 foi difícil quer pela falta de fiabilidade dos motores quer pela inexperiência da equipa na Formula 1.

(continuação)
No GP da Suécia, Jacques Laffite (francês) e a Ligier (com motor Matra) venciam pela primeira vez na Formula 1. Foi uma vitória (quase) totalmente francesa: carro, motor e piloto, faltaram os pneus franceses, mas esses só estariam na Formula 1 daqui a uns GPs, na Grã-Bretanha equipando o Renault RS01. A vitória foi alcançada com alguma sorte porque o ítalo-americano Mário Andretti (Lotus), que dominou totalmente a corrida, ficou sem gasolina a quatro voltas do fim. Mas Laffite e a Ligier tiveram o mérito de estar no lugar certo para aproveitar o erro/falha do adversário. O alemão Jochen Mass (McLaren) ficou em segundo lugar e o argentino Carlos Reutemann (Ferrari) foi terceiro. No GP da França, Mário Andretti (Lotus) vence e John Watson (Brabham) é segundo. O campeão do mundo em título, o inglês James Hunt da McLaren, ficava em terceiro lugar e só agora conseguia o seu primeiro pódio da época. Lauda (Ferrari) ao terminar na quinta posição assumia assim a liderança no campeonato.

No GP da Grã-Bretanha, a vitória sorriu a James Hunt (McLaren), o segundo lugar foi para o austríaco Niki Lauda (Ferrari) e a terceira posição foi para Gunnar Nilsson (sueco) da Lotus. Neste GP estreou um jovem canadiano, ao volante de um McLaren, que iria despertar o interesse da Ferrari, o talentoso Gilles Villeneuve. No GP da Alemanha, Niki Lauda (Ferrari) obtém a sua segunda vitória da temporada sendo o sul-africano Jody Scheckter (Wolf) segundo classificado. O alemão Hans Stuck (Brabham) ficou em terceiro lugar. No GP da Áustria, nova surpresa, Alan Jones (australiano) vence a prova com um Shadow. Foi a primeira vitória na Formula 1 de Jones e a única da Shadow. Lauda (Ferrari) fica em segundo lugar e Stuck (Brabham) repete o terceiro lugar do GP anterior.

No GP da Holanda, Lauda (Ferrari) vence, Laffite (Ligier) é segundo e Scheckter (Wolf) é terceiro classificado. No GP seguinte, na Itália, Mário Andretti (Lotus) vence o quarto GP da época. Lauda fica em segundo lugar e Jones (Shadow) termina em terceiro. Scheckter não termina e as suas hipóteses de lutar pelo título estão presas por um fio, tinha que vencer as restantes três provas e esperar que Lauda não somasse nem mais um ponto. No segundo GP dos Estados Unidos da época, a vitória foi para Hunt (McLaren), Andretti (Lotus) fica em segundo lugar e Scheckter (Wolf) é terceiro. Lauda (Ferrari) termina na quarta posição e torna-se campeão do mundo pela segunda vez, quando ainda faltavam dois GP para o fim do campeonato. Lauda fez da regularidade a sua arma neste campeonato de 1977, apenas venceu 3 provas mas terminou seis vezes no segundo lugar. Niki Lauda não participaria nos dois GP que faltavam porque estava em rotura com Enzo Ferrari e a sua saída da Ferrari já era anunciada como um dado certo. Deste o seu acidente, em Nurburgring e principalmente quando abandonou a prova japonesa no último GP do ano passado, que a sua relação dentro da equipa se vinha a deteriorar. Lauda terá sido o primeiro piloto da história da Ferrari a deixar a equipa, o que terá irritado Enzo Ferrari. O seu futuro passava agora pela Brabham, a sua equipa em 1978. A Wolf e Scheckter surpreenderam porque nunca se esperou que uma pequena equipa conseguisse bons resultados e logo na sua primeira temporada na Formula 1.

Para os dois últimos GP da temporada e para substituir Niki Lauda, Enzo Ferrari contratou o canadiano Gilles Villeneuve, que o tinha impressionado na sua estreia.
No GP do Canadá, a vitória foi para Scheckter (Wolf) e no GP do Japão venceu James Hunt (McLaren). O campeonato terminava com Lauda em primeiro com 72 pontos e Scheckter em segundo lugar com 55 pontos. A Ferrari venceu o campeonato de construtores pela terceira vez consecutiva, com 95 pontos.

O piloto do Renault RS01 em 1977 foi: Jean-Pierre Jabouille.
Vitórias: 0
Pole-position: 0
Melhor volta : 0

1 comentário:

Fleetmaster disse...

Lindo carro. Nunca vi um desses por aqui.Sempre achei esta pintura da Renault mais bonita que a atual.
Abraços