10 maio 2007

Audi Quattro Sport E2 - W. Rohrl - C. Geistdorfer (Rali de San Remo de 1985)

Esta miniatura pertence à colecção Rallycar Collection.
Este Audi Quattro foi a última evolução de um carro que revolucionou o mundo dos ralis. O Audi Quattro Sport E2, com uns enormes apêndices aerodinâmicos, foi lançado em 1985, no Rali da Argentina, quando já o Peugeot 205 Turbo 16 dominava o campeonato de uma forma inabalável. Foi a derradeira tentativa da Audi para voltar a dominar os ralis e derrotar os Peugeot 205 Turbo 16. O Audi Quattro Sport E2 tinha um motor de 2110 cc, com uma potência que chegou aos 550 cavalos (há quem afirme que chegou a rondar os 800 cavalos) para cerca de 1090 kg de peso! Uma autentica bomba. Walter Rohrl, piloto alemão da Audi, chegou a afirmar que devido à potencia o Audi não andava a direito e que lhe fugia das mãos.
O Audi Quattro Sport E2 apenas venceu um rali, o San Remo de 1985, com Walter Rohrl ao volante. Foi também a última vitória da Audi no mundial de ralis. Esta miniatura é alusiva a essa vitória no rali italiano.


(continuação)
No Rali da Argentina, a equipa Peugeot viveu momentos de angústia com momentos de alegria. A Audi já com poucas hipóteses de lutar pelos títulos, apenas alinha um carro para Stig Blomqvist (sueco), o novo Audi Quattro Sport E2. Mas o novo Audi aguenta apenas dez troços e o finlandês Timo Salonen (Peugeot) consegue uma vitória muito facilitada. A angústia da Peugeot deveu-se ao acidente grave que Ari Vatanen (finlandês) sofreu e que o deixou, a ele e ao co-piloto, vários dias entre a vida e a morte. Felizmente que recuperaram mas não voltaram aos ralis nesse ano. Salonen vence (terceira vitória consecutiva), Wiedner é segundo num Audi Quattro e Carlos Reutemann (argentino, ex-piloto da Formula 1) é terceiro com um Peugeot 205 Turbo 16. Este terceiro lugar de Reutemann é o melhor resultado que um piloto da Formula 1 conseguiu nos ralis.
No Rali dos Mil Lagos, Salonen utiliza a nova evolução do Peugeot 205 Turbo 16 e vence o quarto rali consecutivo. É a sua quinta vitória do ano, a primeira e única vitória no rali do seu país. De referir que Stig Blomqvist (Audi) e Markku Alén (Lancia) nada puderam fazer face à superioridade de Salonen, ficando em segundo e terceiro lugar respectivamente. E assim os títulos desse ano ficavam decididos: Timo Salonen e a Peugeot sagravam-se campeões.
No Rali de San Remo, Walter Rohrl mostrou todas as suas qualidades de grande piloto de ralis ao conseguir “domar” e levar o potente Audi Quattro Sport E2 à vitória. O alemão da Audi foi praticamente imbatível neste rali. Nem o Peugeot 205 Turbo 16 de Salonen nem o Lancia 037 de Henri Toivonen, segundo e terceiro, conseguiram incomodar Rohrl, que fazia uma das mais belas actuações da sua carreira. Foi a última vitória de Walter Rohrl e da Audi no mundial de ralis.
(continua)

3 comentários:

PGAV disse...

Caro José,

O Renault está lindo...mas, esse audi está brutal. Penso que foi um carro polémico nos rally's por ter demasiada potência...acho que cerca de 700 CV... Coisa pouca...

Abraço

Pedro

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

José António disse...

Obrigado pelas visitas.

A polémica dos carros do Grupo B foi devido à crescente potencia que estes carros estavam já a desenvolver o que deu origem a alguns acidentes mortais. No final de 1986 terminava esta era fantástica mas perigosa dos ralis.
Abraço