03 abril 2009

Citroen Xsara WRC - S. Loeb - D. Elena (Rali de Monte Carlo de 2003)

Esta miniatura pertence à colecção RallyCar Collection.
Talvez a Citroen não soubesse mas, quando lançou o Xsara em 1997, estava a criar as bases essenciais para um dos maiores domínios da história dos ralis. Actualmente podemos dizer que o desenvolvimento do Citroen Xsara foi gradual e com passos certos. Primeiro surgiu o Xsara Kit Car, modelo de duas rodas motrizes que mostrou ser de uma eficácia tremenda nos ralis de asfalto: venceu provas do Campeonato do Mundo de Ralis e venceu o Campeonato de França em 1998, 1999 e 2001. Posteriormente, e por alterações do regulamento, o Xsara evoluiu para a categoria de WRC. Como a Citroen é uma marca do mesmo grupo da Peugeot, houve quem dentro do grupo não estivesse interessado em que as duas marcas lutassem entre si. Esta situação era algo semelhante ao que se viveu nos finais dos anos setenta entre a Lancia e a Fiat, duas marcas também do mesmo grupo que se enfrentaram nos ralis. Felizmente para o espectáculo dos ralis a Citroen continuou a desenvolver o Xsara e a Peugeot manteve-se também envolvida nos ralis.
O Citroen Xsara WRC surgiu em 1999 e foi sendo desenvolvido ao longo dos anos seguintes, tendo vencido o Campeonato de França em 2000. Quando em 2003 a Citroen decidiu fazer a temporada completa, o Xsara já tinha vencido algumas provas do mundial de ralis. Para esse ano a Citroen manteve o piloto francês Sébastian Loeb, talento descoberto nas formulas de promoção, e reforçou a equipa com a contratação de dois ex-campeões mundiais: o escocês Colin McRae e o espanhol Carlos Sainz, que tinha sido dispensados pela Ford devido a cortes orçamentais. Deste modo a Citroen lançava-se à conquista dos dois títulos: o de pilotos e o de marcas.
No final do campeonato, a Citroen batia a Peugeot na conquista pelo título de marcas mas deixava escapar o título de pilotos.
A miniatura apresentada representa o Citroen Xsara WRC de Sébastian Loeb no Rali de Monte Carlo de 2003.

Campeonato do Mundo de Ralis de 2003
Para este ano de 2003 houve algumas alterações nas equipas: a Ford contratou Markko Martin (estónio) e François Duval (belga) e dispensou Carlos Sainz e Colin McRae, que assinaram pela Citroen para fazerem equipa com Sébastian Loeb; Didier Auriol (francês) assinou pela Skoda para fazer equipa com Tony Grademeister (finlandês); a Peugeot apresentou Richard Burns (inglês), Marcus Gronholm (finlandês), Harri Rovanpera (finlandês) e Gilles Panizzi (francês); a Hyundai tinha Armin Schwarz (alemão) e Freddy Loix (belga); a Subaru alinhava com Tommi Makinen (finlandês) e Peter Solberg (norueguês). A Mitsubishi resolveu parar por um ano na tentativa de recuperar a competitividade perdida. Nos regulamentos, houve a alteração da pontuação, que agora passava a ser igual à da Formula 1: 10, 8, 6, 5, 4, 3, 2, 1.
No Rali de Monte Carlo a expectativa era grande porque se esperava um duelo intenso entre a Citroen e a Peugeot. Mas na verdade a Peugeot esteve muitos “furos” abaixo do que se esperava e o rali acabou ser dominado quase por completo pela Citroen. No início Gronholm (Peugeot) ainda foi líder mas uma saída de estrada afastou-o da primeira posição e Panizzi sofreu uma penalização que o condicionou para o resto da prova. Acabou por ser Burns a salvar a honra da Peugeot ao ficar em 5º lugar, atrás do Ford de Martin. Quanto aos restantes adversários não houve quem conseguisse impedir que os três primeiros lugares fossem conquistados pela Citroen: 1º Loeb, 2º McRae e 3º Sainz. A Citroen dificilmente teria um melhor início de campeonato.
(continua)

2 comentários:

Andre disse...

Muito bonita a miniatura ! Está de parabéns a sua coleção !

Abraços

RM Style disse...

Com Loeb em Portugal foi uma perfeita escolha. mais uma bela miniatura.