03 setembro 2007

Lotus 97T - Ayrton Senna (1985)

Esta miniatura é da marca Minichamps.
O Lotus 97T de 1985 foi da responsabilidade dos designers Gérard Ducarouge e Martin Ogilvie e seguia as linhas do modelo anterior (95T de 1984). Para esse ano a Lotus contratou o piloto brasileiro Ayrton Senna que prometia vir a ser um grande piloto devido às boas prestações que tinha feito no ano anterior ao volante de um Toleman TG184.
A equipa fundada por Colin Chapman que agora era dirigida por Peter Warr desde a morte do fundador, manteve o piloto italiano Elio de Angelis enquanto que Nigel Mansell (inglês) era dispensado e assinava pela Williams.
O Lotus 97T utilizava o motor Renault EF4B/15 Turbo V6 com uma potência que dizia-se de 900 cavalos para a corrida e na qualificação o motor chegava a debitar 1200 cv de potência. A Lotus era uma equipa cliente da marca francesa mas estava a ter melhores resultados que a equipa de Formula 1 da Renault. Já no ano anterior isso tinha acontecido e neste ano de 1985 isso seria confirmado. A Renault no final do ano acabava mesmo por abandonar a F1.
Seria com o modelo 97T que a Lotus voltaria novamente às vitórias de que andava arredada deste 1982.
Esta miniatura do Lotus 97T na versão com pneus de chuva que hoje apresento, cujo piloto é o Ayrton Senna, é uma das minhas favoritas. É sem dúvida alguma, na minha opinião, um dos mais belos carros de Formula 1 sendo a sua decoração é fantástica. O preto e dourado da John Player Special, patrocinador de longos anos da Lotus, combinam muito bem com o amarelo do capacete de Senna e o dourado das jantes. Brilhante miniatura!

1985 – O Campeonato
Como quase sempre, o primeiro GP do ano foi no Brasil e Alain Prost (francês) continuou a sequência de vitórias consecutivas que a McLaren trazia do ano anterior. A McLaren tinha vencido os últimos 7 GP’s do ano anterior e iniciava da melhor maneira o novo campeonato. Prost vencia e dava à McLaren a sua 8ª vitória consecutiva. Michele Alboreto (italiano) foi o segundo num Ferrari e Elio de Angelis (Louts) foi o terceiro. Entretanto após o GP, a Ferrari despediu o piloto francês René Arnoux e contratou o sueco Stefan Johansson.
O GP de Portugal, disputado em condições atmosféricas adversas, revelou Ayrton Senna ao mundo. Mas a poucas horas do início da corrida, no warm-up, Senna ainda sofreu um susto porque o motor do Lotus teve que ser substituído. Disputada debaixo de uma intensa chuva, a corrida foi completamente dominada por Ayrton Senna que vencia assim a sua primeira corrida na Formula 1, depois de ter efectuado a pole-position (também a sua primeira na F1) e a melhor volta da corrida. Por pouco Elio de Angelis não dava à Lotus uma dobradinha mas um furo deitou por terra uma boa prova e terminou na 4ª posição. Michele Alboreto foi o segundo classificado, repetiu o resultado do GP Brasil. O piloto francês Patrick Tambay (Renault) fez uma corrida bastante regular e conseguiu terminar na terceira posição tendo beneficiado de alguns despistes. Alain Prost foi uma das vítimas da chuva porque se despistou e abandonou quando em plena recta da meta o seu McLaren entrou em aquaplanning.

O GP de San Marino foi uma autêntica lotaria nas últimas voltas devido ao elevado consumo de combustível dos carros, aliás estas dificuldades já estavam previstas neste circuito. Nem mesmo a McLaren escapou. Ayrton Senna fez a pole-position e liderou a maioria das voltas até que a 4 voltas do fim abandonou com falta de combustível mas ainda ficou classificado na sétima posição. Com Senna fora da corrida foi Stefan Johansson, que fazia a sua segunda corrida pela Ferrari, que assumiu a liderança da corrida. Os adeptos italianos deliraram quando viram um Ferrari na liderança mas foi por pouco tempo. Na volta seguinte também Johansson se vê obrigado a abandonar devido à falta de combustível. E assim foi Alain Prost, que a 3 voltas do fim, se vê na primeira posição e leva o seu McLaren, já em dificuldades com falta de combustível, a cruzar a linha da meta. Elio de Angelis (Lotus) foi o segundo e Thierry Boutsen (belga) levava o Arrows-BMW A8 a um excelente terceiro lugar. Horas depois da celebração no pódio, Alain Prost foi desclassificado porque o seu McLaren pesava menos dois quilos do que o peso mínimo regulamentado. De Angelis foi declarado o vencedor, Boutsen o segundo e Patrick Tambay era novamente terceiro.
No GP do Mónaco, Senna parte da pole-position e lidera durante as primeiras voltas até que abandona com o motor partido. Alboreto (Ferrai) assume a liderança durante algum tempo. À 16ª volta um espectacular acidente, sem consequências para os pilotos, entre o brasileiro Nelson Piquet (Brabham) e o italiano Riccardo Patrese (Alfa Romeo) deixa óleo na pista. Alboreto tem um leve despiste devido a esse óleo e perde a liderança para Prost (McLaren). Passadas algumas voltas, o italiano da Ferrari voltava a recuperar a liderança para ser novamente traído com um furo que poderá ter sido provocado pelos detritos ainda existentes na pista do acidente entre Piquet e Patrese. Então, com sorte, Alain Prost era novamente o líder e venceu a corrida. Alboreto ficou em segundo lugar depois de ainda ter tido tempo para ultrapassar Elio de Angelis (Lotus), que foi o terceiro classificado.
No GP do Canadá foi a vez de Elio de Angelis fazer a pole-position em vez de Senna, que partiu da segunda posição. Os dois Lotus lideraram a corrida no início, entretanto Senna regista novo abandono e De Angelis foi o líder até à 15ª volta. Entretanto, Alboreto (Ferrari) ultrapassa o piloto da Lotus e domina o evento até ao fim da corrida. Stefan Johansson, o outro piloto da Ferrari, termina em segundo lugar e obtêm o seu primeiro pódio na Formula 1. Para a Ferrari era a primeira dobradinha depois do GP da Holanda de 1983. O terceiro classificado foi Alain Prost.
Ao fim de 5 GP’s disputados, o Campeonato de Pilotos era liderado por Michelle Alboreto com 27 pontos, seguido de De Angelis e Prost com 22 pontos. No Campeonato de Marcas, a Ferrari liderava com 37 pontos.
(continua)

Os pilotos do Lotus 97T em 1985 foram: Elio de Angelis e Ayrton Senna.
Vitórias: 3 (E. De. Angelis: 1; A. Senna: 2)
Pole-position: 8 (E. De. Angelis: 1; A. Senna: 7)
Melhor volta : 3 (A. Senna: 3)

4 comentários:

Fleetmaster disse...

Lino, carro !!! Lindo mesmo ! Agora essa Lotus com a decoração preta usada pelo Ayrton em 1985 e em 1986. Também é uma das minh preferidas da coleção. Tenho uma da minichamps 1:43 !!!! A mesma diga-se dde passagem.

Um belo texto o seu que me fez lembrar Estorial 1985.

Além da Lotus o outro carro do Ayrton que gosto é McLaren de 1988. VC deve ter visto que aos poucos estou colocando os carros do Senna. Logo, logo estas e outras estarão lá também.....


Abraços

Fleetmaster

Mini Car Models disse...

Ola Jose,

considero essa Lotus preta um dos carros de formula 1 mais lindos ja feitos. Parabens pela miniatura e pelo blog.

Abracos,

minicarmodels
minicarmodels.blogspot.com

Folhetim Cultural disse...

Estou fazendo uma homenagem para Ayrton Senna para publicar em meu blog. Este texto sobre a Lotus e o Ayrton Senna me ajudou muito. Obrigado pela lembrança.
Viva Ayrton Senna
Visite meu blog se possível: informaticofolhetimcultural.blogspot.com

Ass: Magno Oliveira
Folhettim Cultural

BBF of the 1001 ideas disse...

Este foi o carro mais lindo da F1.
Ai, Ayrton, se tivessem te entregado uma Ferrari... chegaria à Lua em 10 segundos. Mas foi o melhor mesmo sem a Ferrari. Bons tempos. Domingos felizes e de Glória.