04 setembro 2007

Arrows A8 - Thierry Boutsen (1985)

Esta miniatura é da marca Minichamps.
Mais uma bela miniatura, muito bem detalhada, que representa à escala 1/43 o Arrows A8 que o piloto belga Thierry Boutsen utilizou em 1985.
O Arrows A8 foi concebido pelo designer da equipa, Dave Wass, para competir no campeonato de 1985 mas o monolugar acabou por ser utilizado também em 1986. Dave Wass também foi um dos designers responsáveis pela concepção do Arrows A2 (que já postei aqui).
No ano anterior (1984), ainda na primeira metade da temporada, iniciou a ligação da Arrows à BMW. Foi a partir do GP da Bélgica de 1984 que a Arrows passou a utilizar o motor BMW, que já equipavam os monolugares da Brabham e da ATS (equipa que saiu da F1 no final de 1984).
Em relação aos pilotos para 1985, a equipa Arrows manteve, do ano anterior, Thierry Boutsen e perdeu o suíço Marc Surer para a Brabham. Para o substituir foi contratado o jovem austríaco Gerhard Berger, que tinha corrido no ano transacto pela ATS. A esta troca de pilotos não será de estranhar o facto de Surer e Berger serem pilotos com ligação muito estreita à BMW.
O Arrows A8 estava equipado com o potente motor BMW de 900 cv e era um monolugar relativamente mais competitivo que o seu antecessor, o A7. De facto os dois pilotos da Arrows conseguiram alguns pontos e Thierry Boutsen conseguiu conquistar um pódio, o segundo lugar no GP de Imola, depois de Alain Prost ter sido desclassificado devido ao facto de o seu McLaren estar abaixo do peso permitido pelos regulamentos.
Em 1985, a Arrows terminou o Campeonato de Construtores em 8º lugar com 14 pontos. Em relação aos pilotos da equipa: Boutsen terminou na 11ª posição com 11 pontos e Berger foi o 17º com 3 pontos.
O Arrows A8 deveria ter sido substituído no ano de 1986 pelo novo carro da Arrows mas o A9 fora mal concebido e apenas participou em três corridas. Assim o A8 foi utilizado na maior parte do campeonato de 1986 mas nessa altura o monolugar de 1985 estava completamente obsoleto e apenas conseguiu um ponto no GP da Alemanha pelo alemão Christian Danner. A equipa termina no 10º e ultimo lugar. Dave Wass, o designer da Arrows e responsável pelos A8 e A9, deixou a equipa no final de 1986 e foi contratado Ross Brawn para o substituir. Anos mais tarde, Ross Brawn viria a estar directamente ligado aos títulos de Michael Schumacher na Benetton e na Ferrari.

1985 – O Campeonato (continuação)
No GP dos EUA, em Detroit, Ayrton Senna parte da pole-position e é o líder durante as voltas iniciais mas à 7ª volta sente problemas com os pneus e cai na classificação. Keke Rosberg (finlandês) assume a liderança até ao fim da corrida e dá uma vitória brilhante à Williams-Honda. A Ferrari coloca os seus dois carros logo a seguir a Rosberg, com Johansson à frente de Alboreto.
No GP da França, Keke Rosberg (finlandês) confirmou a boa forma que o Williams-Honda vinha adquirindo ao fazer a pole-position. Ainda liderou nas primeiras voltas mas à 11ª volta Nelson Piquet (brasileiro) ultrapassou o finlandês e dominou o resto da corrida. O Brabham de Piquet mostrou que era competitivo quando estava bem afinado. Infelizmente para o brasileiro raras vezes isso aconteceu nesse ano. Na última volta, Rosberg ultrapassa o francês Alain Prost (McLaren) e termina na segunda posição.
Keke Rosberg voltou a ser o pole-position no GP da Grã-Bretanha mas o brasileiro Ayrton Senna (Lotus) partiu melhor e dominou a corrida quase até ao fim. A oito voltas do fim teve que abandonar com falta de pressão no combustível. Prost e Lauda (ambos em McLaren), que eram segundo e terceiro na altura, passam para a frente. Mas Lauda desiste. O campeão do ano passado estava a ter uma má época, tinha apenas 3 pontos no campeonato. Prost venceu a corrida, Michele Alboreto (Ferrari) terminou na segunda posição e viu a sua vantagem no campeonato a ser reduzida para 2 pontos. O francês Jacques Laffite (Ligier) fica num excelente terceiro lugar.
No GP da Alemanha, o italiano Teo Fabi, da Toleman, surpreendeu toda a gente ao fazer a pole-position. Mas na largada foi Rosberg quem assumiu a liderança. Alboreto (Ferrari), que largou na 8ª posição, deu um toque no seu colega de equipa, Stefan Johansson (sueco) e condicionou a corrida do sueco. A corrida teve vários lideres, primeiro foi Rosbeg depois Senna e novamente Rosberg mas à 45ª volta Alboreto assume a liderança até ao fim. Alain Prost terminou na segunda posição e Laffite repetiu o terceiro lugar do último GP.
O GP da Áustria foi completamente dominado pela McLaren. Prost fez a pole-position e foi o primeiro a liderar. Depois foi ultrapassado pelo seu colega de equipa, Niki Lauda, que corria em “casa”. Mas novamente o seu McLaren foi afectado com problemas técnicos e Lauda teve que abandonar. Prost assume novamente a liderança e vence a prova austríaca. Ayrton Senna (Lotus), na sua primeira corrida, após a vitória em Portugal, em que não teve problemas, termina na segunda posição. Michele Alboreto, que ficou na terceira posição, perde a liderança no campeonato embora tenha os mesmos pontos (50) que o primeiro, Alain Prost. A Ferrari ainda liderava com 72 pontos mais 17 que a McLaren.
(continua)

Os pilotos do Arrows A8 em 1985 foram: Thierry Boutsen e Gerhard Berger.
Vitórias: 0
Pole-position: 0
Melhor volta : 0

3 comentários:

Fleetmaster disse...

Thierry BOutsen teve um grande número de fãs aqui no Brasil, pois ele era amigo do Ayrton Senna. Alias estou esperando a história da temporada de 1985 chegar na corrida da Bélgica, a segunda vitória dele.
Abraços

José António disse...

Em principio, amanhã coloco o texto com a parte final do campeonato de 1985.

Obrigado pela visita, Fleetmaster.
Cumprimentos

Blog F1 Grand Prix disse...

Legal esse carro da Arrows. O Boutsen conseguiu grandes resultados com ele. Se não me engano, chegou até a fazer podium. Por outro lado, Berger ainda estava em começo de carreira e não conseguiu muita coisa.

Grande abraço!