21 setembro 2007

Toyota Celica Turbo 4WD - C. Sainz - L. Moya (Rali da Catalunha de 1992)

Esta miniatura pertence à colecção RallyCar Collection.
Em 1992 a Toyota apostou numa nova versão do Celica para atacar o Campeonato Mundial de Ralis com o objectivo de quebrar a série de 5 títulos (consecutivos) de construtores da Lancia. Outro objectivo era recuperar o título de pilotos que o espanhol Carlos Sainz tinha conquistado em 1990 e perdido em 1991 de forma inglória para o finlandês Juha Kankkunen (Lancia).
O novo Celica Turbo 4WD levou algum tempo para mostrar toda a sua competitividade e enquanto isso não aconteceu o novo Delta Integrale aproveitou para vencer no Monte Carlo e em Portugal tendo a Lancia ganho vantagem no confronto com a Toyota. A primeira vitória surgiu no sempre difícil Safari e Sainz foi mantendo-se na luta pelo título de pilotos à custa de boas classificações e da táctica utilizada, visto que os pilotos apenas podiam participar em 10 dos 14 ralis. Foi preciso a equipa Toyota aplicar-se a fundo para, a meio do campeonato, resolver alguns problemas com o Celica de modo a manter o piloto espanhol na luta até ao último rali. Mas na batalha pelo título de construtores a Toyota não conseguiu vencer a Lancia quer porque o Celica demorou algum tempo a estar completamente competitivo, quer porque Carlos Sainz, principal piloto da Toyota, lutava quase sozinho contra os dois candidatos da Lancia, Didier Auriol e Juha Kankkunen.
A Toyota venceu quatro ralis contra oito da Lancia mas a força dominante nos ralis estava prestes a mudar...
Esta miniatura representa o Toyota Celica Turbo 4WD com o qual Carlos Sainz venceu o Rali da Catalunha (1992), vitória absolutamente necessária e decisiva para que o espanhol levasse a decisão do título para o último rali, o RAC.


(continuação Campeonato do Mundo de Ralis de 1992)
Os três ralis que se seguiram à Nova Zelândia foram uma demonstração da boa forma que Didier Auriol (Lancia) atravessava. Auriol (francês) obtêm três vitórias consecutivas (Argentina, Finlândia e Austrália) e parecia que finalmente a França viria a ter um Campeão do Mundo de ralis. Nesse três ralis, Carlos Sainz é segundo na Argentina, terceiro na Austrália e não participa na Finlândia. Juha Kankkunen não participa na Argentina mas fica em segundo lugar na Finlândia e na Austrália.
Com 4 ralis para finalizar o campeonato, Auriol tinha 120 pontos em 7 ralis realizados, Sainz 104 pontos em 8 ralis realizados e Kankkunen 92 pontos em 6 ralis realizados. Relembro que os pilotos apenas podiam participar em 10 dos 14 ralis e o pior resultado dos 10 era descartado. A missão de Sainz estava difícil uma vez que apenas podia participar em mais dois ralis.
Entretanto a Lancia já tinha conquistado na Finlândia o seu sexto título de marcas consecutivo!
A Toyota não participou no Rali de San Remo para preparar o rali da Catalunha e o RAC. Assim os pilotos da Lancia ficavam sozinhos na luta pela vitória. Didier Auriol desistiu, Kankunnen ficou em segundo lugar e Andrea Aghini (italiano) venceu o rali. Um pouco incompreensivelmente a Lancia não ditou ordens de equipa para Aghini deixar vencer Kankkunen.
No Rali da Costa do Marfim nenhum dos candidatos compareceu e a vitória foi para o japonês Kenjiro Shinozuka num Mitsubishi Galant.
No Rali da Catalunha, a Toyota e Carlos Sainz mostraram que a opção de não participar no San Remo foi fundamental para fazer evoluir o Celica e recuperar forças para o final do campeonato. O azarado Auriol atrasou-se muito e apenas conseguiu recuperar até ao décimo lugar. Sainz dominou e ganhou vantagem no asfalto para depois gerir na terra batida. Foi uma vitória em casa para Sainz com Kankkunen no segundo lugar.
No RAC, com os três pilotos separados por três pontos (Sainz 124, Kankkunen 122 e Auriol 121), quem terminasse à frente dos outros dois era campeão. Mais uma vez Auriol sofreu alguns problemas e abandonou. Sainz dominou e venceu o RAC sagrando-se campeão pela segunda vez enquanto que Kankkunen não conseguiu melhor que o terceiro lugar.
Carlos Sainz ficou em primeiro lugar com 144 pontos (4 vitórias), Kankkunen foi o segundo com 134 pontos (1 vitória) e Auriol foi o terceiro com 121 pontos (6 vitórias).
A Lancia venceu o campeonato com 140 pontos (8 vitórias) e a Toyota terminou na segunda posição com 116 pontos (4 vitórias mas só 2 contavam para o campeonato de construtores).

4 comentários:

Fleetmaster disse...

O CArlos Sanz foi um ótimo piloto. Linda miniatura !!!!! PArabéns !

PGAV disse...

Caro José,

Venho dar-lhe noticias! Mas, primeiro quero felicita-lo por esse Celica! Está soberbo! Parabens!

Eu já tenho publicadas as fotos da minha última aquisição... Dê uma Olhadela!

Em breve virá outra...

Abraço

Pedro

PGAV disse...

Caro José,

Chegou hoje a minha miniatura de "sonho" LOL!

Deixou-me na penúria LOL, mas pronto...

Dê uma olhadela, de certo vai gostar!


Abraço

Pedro

Fleetmaster disse...

Ola José, Vc tem algum carro do ColinMcRae?

Abraços

Fleetmaster