13 agosto 2007

BMW M3 - M. Duez - A. Lopes (Rali de Monte Carlo de 1989)

Esta miniatura é da marca IXO.
Segundo a Wikipedia, o BMW M3 terá vencido mais provas em circuitos do que qualquer outro modelo. Por isso é considerado por muitos como o carro com mais sucesso nos circuitos.
O BMW M3 venceu vários campeonatos de turismo em diversos países: 1 Campeonato do Mundo de Turismo (1987); 2 Campeonatos Europeus de Turismo (1987 e 1988); 2 Campeonatos Britânicos de Turismo (1988 e 1991); 4 Campeonatos Italianos de Superturismos (1987, 1989, 1990 e 1991); 2 Campeonatos Germânicos de Turismo (1987 e 1989) e 1 Campeonato Australiano de Turismo (1987). Venceu também várias vezes as 24 Horas de Nurburgring, as 24 Horas de Spa e a Guia Race (corrida de turismos que é realizada no circuito de Macau).
O BMW M3, que inicialmente vinha equipado com o motor de 2.3 litros S14, teve como base o modelo E30 da Série 3 de 1986. Uma das razões para a produção deste modelo tem a haver com a sua homologação para as corridas de Turismo de Grupo A e para fazer face ao rival Mercedes-Benz W201.
Fonte Wikipédia.
A miniatura que hoje apresento é do BMW M3, com o patrocínio da FINA, que Marc Duez (belga) utilizou no Rali de Monte Carlo de 1989, tendo terminado na 8ª posição. Como o BMW M3 já abordado, no Quatro Rodinhas num post anterior, podemos então consultá-lo aqui para obter mais algumas informações.

Os resultados do BMW M3 nos ralis e classificação da BMW no Mundial de Construtores:
1987 – Vitória na Volta à Córsega (Bernard Béguin) – BMW: 8ª no campeonato;
1988 – 4º na Volta à Córsega (François Chatriot) – BMW: 7ª no campeonato;
1989 – 8º no Rali de Monte Carlo (Marc Duez); 5º no Rali de Portugal (Marc Duez); 2º na Volta à Córsega (François Chatriot); 7º no Rali de San Remo (Marc Duez) – BMW: 6ª no campeonato;
1990 – 3º na Volta à Córsega (François Chatriot) – BMW: 9ª no campeonato;
1991 – 7º na Volta à Córsega (Patrick Bernardini) – BMW: 8ª no campeonato.

Campeonato do Mundo de Ralis (1989)
Este campeonato foi, à semelhança dos dois anos anteriores, dominado pela Lancia e por Miki Biasion (italiano). Dos 13 ralis que compunham o campeonato apenas 10 eram pontuáveis para a classificação de Marcas: Monte Carlo, Portugal, Safari, Córsega, Acrópole, Argentina, Mil Lagos, Austrália, San Remo e RAC. Ficavam de fora: Suécia, Nova Zelândia e Costa do Marfim.
Neste ano o Rali do Monte Carlo não foi a primeira prova do campeonato; o Rali da Suécia abriu o campeonato mas como era um rali apenas pontuável para a classificação de pilotos, as marcas oficiais não compareceram. Aliás tal como sucedeu no Rali da Nova Zelândia. E nesses dois ralis a vitória foi para o Mazda de Ingvar Carlsson (sueco). Após o Rali da Suécia, a Lancia conquista a vitória nos cinco ralis seguintes: Monte Carlo, Portugal, Safari, Córsega e Acrópole. Didier Auriol venceu na Volta à Córsega e Miki Biasion venceu os outros quatro. A Lancia e Biasion praticamente acabaram com a discussão pelos títulos mundiais. Depois da Nova Zelândia, Michael Ericsson (sueco) vence o Rali da Argentina num Lancia e depois de ficar sem lugar na equipa italiana para o rali seguinte, nos Mil Lagos, vinga-se ao vencer a prova finlandesa ao volante de um Mitsubshi Galant VR4. Foi a primeira derrota da Lancia nesse ano. No Rali da Austrália, nova derrota de Lancia. Juha Kankkunen (finlandês) venceu a prova num Toyota Celica 4WD. As duas marcas nipónicas estavam a demonstrar que podiam ser as grandes adversárias da Lancia no futuro, no entanto para esse ano já era tarde. No Rali San Remo, a Lancia estreou o novo Delta Integrale 16v e venceu a prova. Biasion vencia assim a sua quinta prova do ano e renovava o título de campeão. Na Costa do Marfim, o outro rali apenas pontuável para os pilotos, as equipas oficiais não participaram. Assim a vitória foi para o Renault 5 GT Turbo de Alain Oreille (francês). No último rali do campeonato, o RAC, o veterano piloto finlandês, Pentti Airikkala ganha, com um Mitsubishi Galant VR4, o seu único rali do Campeonato do Mundo. A Lancia, já campeã, decidiu não participar no RAC.
Miki Biasion foi, pela segunda vez consecutiva, o campeão com 106 pontos e cinco vitórias. A Lancia venceu o campeonato de marcas com 140 pontos e 7 vitórias.

7 comentários:

Blog F1 Grand Prix disse...

Esse carro é bem bacana mesmo. Pena que a BMW não esteja mais no Mundial de Rally...

Ao menos eles ainda competem em outros eventos importantes, como o Rally Dacar. Isso sem falar, é claro, na ótima equipe que eles montaram na Fórmula 1.

Grande abraço!

Schuey2007 disse...

Concordo com o amigo "Blog".

Pena a BMW não estar no WRC para ombrear com a Citroen e a Ford.

Mas como não se pode ter tudo lá dá para nos contentarmos com os bons resultados da BMW na Formula 1 e no Todo-o-Terreno.

Sr. José António "keep up the good work"!

Grande Abraço

Fleetmaster disse...

Lindos modelos de turismo. Os carros da BMW sempre foram campeões. Acho que falta pouco para isso aocntecer na F1 Também !!!

Abraços

Fleetmaster disse...

Bem detalhadas as miniaturas...Essas tem até o cinto de segurança !!1

PGAV disse...

Caro José,

Já regressado das férias, embora ainda continue de férias, venho noticiar-lhe que tenho 2 novas novidades no meu blog.

Aproveito também para lhe dar os parabens por esse BMW M3... O meu carro de sonho!

Um M3 e sempre um M3...

Abraço.

Pedro

Rio Kart disse...

Automobilismo é isso: detalhes!

Olha, coloquei um link seu no meu blog. Adoro as miniaturas e o seu contexto histórico..rs

Se tiver algum problema com o link me avise..

Abraço

PGAV disse...

Caro José,

Tenho mais uma miniatura no meu blog, esta pensao que mais a seu gosto! LOL

Dê uma olhadela! Abraço!

Pedro