04 junho 2009

Williams FW21 - Alessandro Zanardi (1999)

Esta miniatura é da marca Minichamps.
Após a conquista dos campeonatos de 1996 e 1997, e depois de um fraco ano de 1998, a Williams iniciava a temporada de 1999 com esperanças de que esta fosse melhor do que a anterior. A equipa técnica continuava a ser liderada por Patrick Head mantendo Gavin Fisher, que tinha substituído Adrien Newey (agora na McLaren) em finais de 1997. No entanto o Williams FW21 para o ano de 1999, da responsabilidade de Head e Fisher, não revelou ser o carro que a equipa de Franck Williams necessitava para voltar às vitórias. O motor continuava a ser o V10 da Renault agora desenvolvidos pela Supertec (a marca francesa tinha deixado a Williams e a F1 em 1997 mas mesmo assim a Williams continuou a utilizar os motores Renault, que em 1998 foram desenvolvidos pela Mecachrome). Esta situação de utilizar um motor já “ultrapassado” deixava a Williams com uma grande desvantagem em relação às outras equipas, principalmente a Ferrari e a McLaren. Mas Franck Williams já tinha delineado um plano para que em 2000 os seus carros fossem motorizados pela BMW.
A dupla de pilotos para 1999 era completamente nova: o alemão Ralf Schumacher (ex-Jordan) e o italiano Alessandro Zanardi, substituíram o canadiano Jacques Villeneuve (agora na BAR) e o alemão Heinz-Harald Fretzen (agora na Jordan).
A temporada de 1999 não foi particularmente feliz para a Williams, já que continuou sem vencer e viu um dos seus pilotos a não conseguir um único ponto. A Williams terminou o campeonato em 5º lugar com 35 pontos, sendo que esses pontos foram todos conquistados por Ralf Schumacher (6º classificado no campeonato). Ralf ainda conseguiu alguns resultados positivos (3 pódios: um segundo lugar e dois terceiros) mas algo incompreensivelmente Zanardi não logrou conquistar um único ponto. A miniatura que apresento representa o Williams FW21 de Alessandro Zanardi no ano de 1999.
Alessandro Zanardi nasceu a 23 de Outubro de 1966 em Itália. Tal como muitos pilotos da sua geração, Zanardi começou pelo kart tendo passado pelas formulas seguintes até chegar à Formula 1. A sua estreia na F1 acontece em 1991 no GP de Espanha pela Jordan. Nesse ano faz os três últimos GP’s da temporada pela equipa de Eddie Jordan. No ano de 1992, Zanardi tem como missão principal ser piloto de testes para a Benetton. Mas durante o ano ainda consegue participar em três GP’s pela Minardi: em duas ocasiões não consegue a qualificação mas consegue participar no GP da Alemanha com a Minardi. Foi a sua única corrida na F1 nesse ano. No ano seguinte Zanardi consegue um contrato para correr pela Lotus e participa em 11 GP’s tendo conquistado um ponto apenas. Este é o único ponto que Zanardi viria a conquista na sua carreira na F1. No GP da Bélgica de 1991 sofre um acidente que o impediu de concluir a temporada, sendo substituído pelo piloto português Pedro Lamy durante o resto do campeonato (4 GP’s). Para o ano de 1994, Zanardi vê o seu lugar ocupado por Lamy e mantêm-se como piloto de testes da Lotus. No entanto após o grave acidente de Lamy nos testes em Silverstone, Zanardi volta a ocupar no lugar e participa em 10 Gp’s, sem conseguir pontuar. Nesta altura a Lotus já lutava para conseguir sobreviver, o que não conseguiu, e Zanardi acabou por ficar sem contrato para 1995. Assim Zanardi direccionou a sua carreira para a América, no campeonato CART., que dominou nos anos de 1997 e 1998, tendo se sagrado bi-campeão. A Williams reconheceu grandes qualidades em Zanardi, e talvez numa tentativa de repetir o êxito que teve com Villeneuve, contratou o italiano para 1999. Alessandro Zanardi regressou à F1 em 1999 mas tudo lhe correu mal na Williams. Não pontuou e acabou por ser dispensado pela Williams. Zanardi regressou então ao CART mas em 2001 sofreu um grave acidente do qual resultou a amputação das duas pernas. Quando se pensava que o automobilismo teria terminado para o piloto italiano, Zanardi num esforço de determinação, recupera e utilizando próteses regressa à competição em 2003, participando desde então nos campeonatos de turismo com sucesso.

1999 – O Campeonato
Depois de um ano de sucesso, a McLaren iniciou a temporada de 1999 da pior forma na defesa dos títulos. No GP da Austrália, nenhum dos dois McLarens conseguiu pontuar sendo que a vitória acabou por ser de Eddie Irvine (irlandês) da Ferrari. Foi a primeira vitória de Irvine na Formula 1. O alemão Michael Schumacher, no outro Ferrari, também não iniciou a época da melhor forma visto que, tal como Mika Hakkinen (campeão em título), também não pontuou. Heinz-Harald Frentzen (Jordan) foi o segundo classificado e Ralf Schumacher o terceiro, em Williams.
No GP do Brasil, os principais candidatos ao título ocuparam as primeiras posições: Hakkinen vence, Schumacher é segundo e Frentzen o terceiro. Nos dois GP’s seguintes (San Marino e Mónaco), a Ferrari obteve duas vitórias por Schumacher: em San Marino, Coulthard (McLaren) foi o segundo e Rubens Barrichelo (brasileiro) foi o terceiro no Stewart-Ford; no Mónaco Irvine com o segundo lugar deu a dobradinha à Ferrari. Mika Hakkinen foi o terceiro. A McLaren respondeu a esta dobradinha da Ferrari também com uma dobradinha no GP da Espanha: Hakkinen em primeiro e David Coulthard (escocês) em segundo. Desta vez coube a Michael Schumacher ocupar o terceiro lugar do pódio.
No GP do Canadá Mika Hakkinen logrou vencer a prova e beneficiou do facto de Schumacher não pontuar. A Benetton conseguiu o seu único pódio do ano graças ao segundo lugar de Giancarlo Fisichella (italiano). Irvine salvou a honra da Ferrari ao terminar no terceiro lugar.
Heinz-Harald Frentzen ao vencer o GP da França, deu à Jordan a segunda vitória na F1; aliás essa foi também a segunda do alemão, depois de em 1997 se ter estreado a vencer pela Williams. Mika Hakkinen consegue o segundo lugar, à frente de Barrichello que foi o terceiro, e beneficia do facto de Michael Schumacher ser apenas quinto classificado.
O GP da Grã-Bretanha marcou definitivamente o campeonato, não pelo resultado em si, mas pelo facto de Michael Schumacher ter tido um grave acidente, do qual resultou a fractura de uma perna que o afastou da luta pelo campeonato devido ao longo período de recuperação. David Coulthard conseguiu levar a melhor sobre Eddie Irvine e obteve uma vitória “caseira”. A partir desse GP, com a lesão de Schumacher, tudo dependia de Irvine para que o sucesso da Ferrari fosse alcançado. Assim Irvine que terminou em segundo lugar, à frente de Ralf Schumacher que foi o terceiro, ganhou 6 valiosos pontos e beneficiou do facto de Hakkinen não ter pontuad
Decorrida a primeira metade do campeonato, Hakkinen ocupava o primeiro lugar do campeonato com 40 pontos, seguido de Schumacher (que iria ficar vários meses em recuperação) e Irvine, ambos com 32 pontos. Frentezen era o quarto classificado com 26 pontos. Nos construtores a Ferrari liderava com 64 pontos, mais dois que a McLaren.
(continua)

Os pilotos do Williams FW21 em 1999 foram: Alessandro Zanardi #5 e Ralf Schumacher #6.
Vitórias: 0
Pole-position: 0
Melhor volta: 1 (R. Schumacher: 1)

3 comentários:

JB disse...

Uma miniatura exclente por parte da Minichamps

PGAV disse...

Olá José!

Vejo que tens posto novidades no teu blog! Continua excelente! Eu tenho bastantes novidades para colocar no meu mas de facto o trabalho não me tem deixado muito tempo! Em breve começarei a coloca-las e aviso! Só estou a espera que chegue uma BOMBA de miniautra...

Abraço!

RM Style disse...

Miniatura bonita