30 junho 2010

Ford Focus WRC - M. Gronholm (Rali de Portugal de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos.
Tal como a anterior miniatura do Citroen, esta também foi uma das ofertas pela assinatura da colecção.
A miniatura é uma representação do Ford Focus WRC mas desta vez trata-se do carro que fez a abertura dos troços do Rali de Portugal de 2008. Ao volante do carro “0” estava o piloto finlandês Marcus Gronholm (Campeão do Mundo de Ralis de 2000 e 2002). Marcus Gronholm tinha terminado a sua carreira no ano anterior e surgia como cabeça de cartaz no Rali de Portugal de 2008 mas não era o único nome sonante na prova, que na lista de inscritos contava com pilotos como Didier Auriol (francês, Campeão do Mundo de Ralis em 1994) ao volante de uma Abarth Grande Punto, François Duval (belga) também num Abarth Grande Punto, Manfred Sthol (austríaco) em Peugeot 207 e Juho Hanninen (finlandês) num Mitsubishi EVO IX.
O Rali de Portugal de 2008 surgia integrado no IRC (Intercontinental Rally Challenge) e disputava-se no Algarve entre os dias 8 e 10 de Maio. A prova portuguesa integrava o sistema de rotatividade de provas definido pela FIA (Federação Internacional do Automóvel) e como tal não fazia parte do WRC nesse ano; no ano seguinte o Rali de Portugal regressaria ao calendário do mundial.
A vitória foi para a equipa italiana Luca Rossetti e Matteo Chiarcossi, em Peugeot 207 S2000. A segunda posição ficou na posse de Jan Kopecky e Petr Stary, também em Peugeot 207 S2000. Para completar o pódio, totalmente Peugeot, o terceiro luagar foi para Nicolas Vouilloz, que era um dos candidatos à vitória. Vouilloz ainda lutou com Rossetti numa batalha ao segundo na primeira etapa. Ainda liderou o rali, mas no último dia decidiu por levantar o pé na última especial do dia, optando por uma táctica mais defensiva e deixando para Rossetti o facto de ser o primeiro na estrada. Contudo Vouilloz não foi feliz nesta estratégia: acabou por ser batido, perdeu muito tempo para o rival Rossetti e viu François Duval retirar-lhe a segunda posição. Na tentativa de recuperar o tempo perdido, Vouilloz atacou a fundo mas um furo retirou-lhe qualquer esperança de ainda lutar pela vitória e perdeu mais algumas posições. No entanto ainda foi a tempo de recuperar duas posições a Hanninen e Auriol, subindo ao último lugar do pódio. O melhor português foi Bruno Magalhães num Peugeot 207 S2000, que terminou na sexta posição final. Fonte http://quimrally.blogspot.com/2008/05/rossetti-triunfa-no-rali-de-portugal.html

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
No inicio de Novembro disputou-se o Rali do Japão com a questão dos títulos ainda por resolver, se bem que no caso dos pilotos quase ninguém acreditava que o título pudesse fugir a Sébastien Loeb (francês). Apenas os homens da Ford tinham esperança de ainda impedir a conquista do francês da Citroen, embora as hipóteses de Mikko Hirvonnen (finlandês) fossem remotas: seria necessário vencer e esperar que Loeb não fosse além do quarto lugar para que este não se sagrasse campeão na prova japonesa. Uma parte desse pressuposto foi conseguido com a vitória de Mikko Hirvonnen, sendo seguido pelo seu colega de equipa Jari-Matti Latvala (finlandês), mas Loeb decidiu não colaborar e encerrou a questão do título ao ficar na terceira posição. Sébastien Loeb conquistava assim o seu quinto título de campeão (de 2004 a 2008).
Foi apenas no Rali de Gales, última prova do WRC, que a questão do título de construtores ficou resolvida: a Citroen venceu o rali e o campeonato. Loeb venceu pela décima primeira vez neste campeonato e deu o título à Citroen. Latvala (Ford) foi o segundo e Daniel Sordo (espanhol) foi o terceiro classificado. A Citroen reconquistava assim o título de construtores (191 pontos e 11 vitórias). A Ford, com 173 pontos e 4 vitórias, foi incapaz de manter o título conquistado em 2006 e 2007. Loeb terminou o campeonato com 122 pontos (11 vitórias) e Hirvonnen foi o segundo com 103 pontos (3 vitórias).

26 junho 2010

Citroen C4 WRC - S. Loeb - D. Elena (Rali da Argentina de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos. A miniatura do Citroen C4 WRC de Sébastien Loeb (Rali da Argentina de 2008) foi uma oferta pela assinatura desta colecção.
O Citroen C4 WRC já foi tema aqui no Quatro Rodinhas, como tal não vou entrar em pormenores sobre o mesmo. Para saber mais sobre o C4 aconselho a leitura do seguinte post: Citroen C4 WRC do Rali de Monte Carlo de 2008.
Assim a miniatura que hoje apresento volta a ser o Citroen C4 WRC de Sébastien Loeb (francês) no Rali da Argentina de 2008. A grande diferença que se nota nestas duas miniaturas está na sua decoração. Não tenho a certeza se foi neste rali mas ao que parece a Citroen alterou a decoração dos seus carros para o rali argentino.
Sébastien Loeb venceu o Rali da Argentina, seguido do piloto australiano Chris Atkinson da Subaru. O seu colega de equipa, o espanhol Daniel Sordo, foi o terceiro classificado. O rival de Loeb na discussão do título, Mikko Hirvonen, piloto finlandês da Ford, foi apenas o quinto classificado.

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
Após 3 vitórias nos últimos ralis e com apenas 4 ralis para disputar Sébastien Loeb encontrava-se a um pequeno passo para conquistar mais um título de pilotos. O Rali da Catalunha disputado em asfalto era uma prova bem ao jeito de Loeb e do Citroen C4 WRC. Motivado pelas anteriores conquistas, Sébastien Loeb soube dominar o rali da melhor maneira, vencendo a nona prova do ano e a sua 4ª consecutiva. O espanhol Daniel Sordo, colega de Loeb na Citroen, foi o segundo e Mikko Hirvonen, da Ford, foi o terceiro classificado.
Poucos dias depois da prova espanhola, disputou-se a Volta à Córsega, outro rali em asfalto. Tal como na Catalunha, Sébastien Loeb era o principal favorito e só muito dificilmente deixaria de registar nova vitória. Foi então sem grande surpresa que assistimos ao domínio do francês da Citroen. Loeb terminaria em primeiro com mais de três minutos e vinte segundos de vantagem sobre Mikko Hirvonen (Ford). O terceiro classificado foi o belga François Duval em Ford Focus WRC.
Sébastien Loeb liderava o campeonato de pilotos com 106 pontos, seguido de Mikko Hirvonen com 92 pontos. Nos construtores a Citroen liderava com 169 pontos, a Ford seguia em segundo lugar com 146 pontos e sentia o título a fugir-lhe. A duas provas do fim do campeonato, muito dificilmente os títulos deixariam de ser conquistados pelos homens da Citroen…
(continua)

18 junho 2010

Suzuki SX4 WRC - T. Gardemeister - T. Tuominen ( Rali de Monte Carlo de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos – Fasc. nº 16.
A aventura da Suzuki na categoria máxima do Mundial de Ralis durou pouco mais do que uma temporada. Depois de terem conquistado dois títulos no JWRC (2004 e 2007) os responsáveis da Suzuki optaram por tentar o WRC. O modelo escolhido foi o Suzuki SX4 e a estreia ocorreu na Volta à Córsega de 2007 com Nicolas Bernardi. O resultado (31ª posição) não era o mais importante pois interessava ganhar experiência e resolver os problemas de juventude ao longo das provas que ainda iriam disputar em 2007 de modo a iniciar o campeonato de 2008 com outras ambições.
O Suzuki SX4 WRC dispunha de um motor de 1997 cc, com uma potência de 320 cv às 4500 rpm. A tracção era integral com uma caixa de cinco velocidades Xtrac. O engenheiro responsável pelo desenvolvimento do Suzuki era o mesmo que tinha tido sob a sua responsabilidade os programas da Toyota e da Peugeot (206 WRC e 307 WRC) e que considerava as características do Suzuki SX4 WRC muito parecidas com as do Peugeot 206 WRC.
A miniatura representa o Suzuki SX4 WRC de Toni Gardemeister (finlandês) no Rali de Monte Carlo de 2008. Para a temporada de 2008 o Suzuki SX4 WRC recebeu novas suspensões e melhoramentos nos travões. A prova monegasca não foi isenta de problemas mecânicos e o piloto finlandês viu-se obrigado a desistir no último dia com problemas de temperatura no motor. Contudo o seu colega de equipa, Per-Gunnar Andersson (sueco) conseguiu levar o Suzuki até à oitava posição final garantido o primeiro ponto para o Suzuki SX4 WRC.
No final dos campeonatos a Suzuki ficava em 5º lugar com 34 pontos e os seus dois pilotos, Andersson e Gardemeister, ficaram em 12º (12 pontos) e 13º (10 pontos) respectivamente. E assim acabava a aventura da Suzuki no WRC.

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
Os dois ralis que se seguiram à Finlândia, disputados a meio e no final de Agosto, eram de características diferentes: o Rali da Alemanha era em asfalto enquanto o Rali da Nova Zelândia disputava-se em terra. Contudo o resultado final viria a ser favorável, bastante favorável, à Citroen e seus pilotos em detrimento da Ford.
O Rali da Alemanha mostrou que a Citroen estava em forma e pronta para a recta final do campeonato. Sébastien Loeb (francês) e Daniel Sordo (espanhol), da Citroen, ficaram na frente da concorrência, tendo Loeb vencido com Sordo em segundo. O francês beneficiou ainda da terceira posição de Duval (belga), da Stobart Ford, que ficou à frente de Mikko Hirvonen (finlândes) da Ford e rival de Loeb no campeonato.
O Rali da Nova Zelândia teve os mesmos protagonistas e o resultado foi igual ao da prova alemã, com uma diferença, desta vez Hirvonen ficou em terceiro lugar. Com esta nova vitória Sébastien Loeb reforçava o primeiro lugar do campeonato conquistado na Alemanha; Loeb tinha agora 86 pontos contra os 78 pontos de Hirvonen. A Citroen que também tinha recuperado o primeiro lugar na Alemanha tinha agora 141 pontos enquanto a Ford já se encontrava a 20 pontos de distância. Faltavam 4 provas para o final da temporada.
(continua)

15 junho 2010

Ford Focus RS WRC 07 - F. Duval - E. Chevailler (Rali de Monte Carlo de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos – Fasc. nº 30.
A miniatura de hoje é novamente o Ford Focus RS WRC 07 (François Duval no Rali de Monte Carlo de 2008), no entanto trata-se da equipa Stobart cujos veículos eram desenvolvidos por Malcom Wilson. Deste modo a equipa Stobart passava a ter uma ligação mais “forte” com a Ford. A equipa Stobart servia também para promover novos talentos que podessem ascender à equipa principal.
A equipa Stobart inscreveu quatro pilotos para o Monte Carlo de 2008: François Duval (belga), Gigi Galli (italiano), Mathew Wilson (inglês) e Henning Solberg (norueguês). Apesar de não ter participado no Monte Carlo de 2007 e de desconhecer alguns troços, François Duval revelou-se ao longo de todo o rali como o melhor piloto da equipa Stobart. Duval teve como adversário directo o australiano da Subaru, Chris Atkinson, tendo disputado tudo o rali, primeiro pela quarta posição e depois pelo último lugar do pódio. Duval esteve sempre muito perto de Atkinson e no último dia do rali chegou mesmo a fazer o melhor tempo em alguns troços contudo não foi o suficiente. Duval terminou o rali na quarta posição a 1,1 segundos de Atkinson que foi o terceiro. Duval viria a terminar o campeonato na 7ª posição com 25 pontos, tendo participado em 7 ralis. Os melhores resultados de 2008 foram dois terceiros lugares (Alemanha e França). A equipa Stobart terminou o campeonato de marcas na 4ª posição com 67 pontos.
François Duval nasceu a 18 de Novembro de 1980 na Bélgica. Filho de um piloto de ralis, Duval também acabou por ser influenciado a seguir uma carreira na modalidade. A sua estreia no WRC aconteceu em 2001 no Rali de Portugal ao volante de um Mitsubshi Carisma do Grupo N, o resultado foi um abandono. Nesse ano para além do Mitsubshi, guiou também um Ford Puma S1600. Apesar dos vários abandonos que teve Duval mostrou qualidades que levaram a Ford a apostar nele para o ano seguinte para o JWRC. Contudo nesse ano a Ford optou também por lhe confiar um Ford Focus WRC em alguns ralis. Este facto permitiu que François Duval desse nas vistas garantindo assim um contrato para a primeira equipa da Ford. Durante os dois anos seguintes (2003 e 2004) Duval participou como piloto titular da Ford mas os resultados alcançados não foram os esperados pelos responsáveis da equipa. Efectivamente, Duval acabou por ser ultrapassado pelo seu colega de equipa, o estónio Markko Martin, e apenas registou alguns pódios. Para 2005 a Citroen viu em Duval capacidades para que fosse contratado e foi na nova equipa que François Duval obteve a sua única vitória no WRC, que aconteceu no Rali da Austrália. Apesar da vitória e de 3 segundos lugares e com o abandono oficial da Citroen, François Duval não conseguiu um lugar numa equipa de topo para 2006, que foi passado na Skoda. Os resultados foram escassos e para 2007 apenas marcou presença em 3 ralis ao volante de um Citroen Xsara WRC (um segundo lugar na Alemanha). O ano de 2008 foi um pouco melhor em termos de participações (7 presenças em ralis) mas a equipa Stobart não lhe permitiu melhor do que 2 terceiros lugares. Desde então não disponho de mais informações sobre Duval, apenas que terá abandonado a sua carreira nos ralis em Março de 2010 (fonte Wikipédia).

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
Os dois ralis que se seguiram à Acrópole tiveram como vencedores os únicos candidatos ao título: Sébastien Loeb (francês) e Mikko Hirvonen (finlandês).
O piloto finlandês da Ford venceu o Rali da Turquia, tendo a equipa Ford alcançado um excelente resultado uma vez que Jari-Matti Latvala (finlandês), no outro Ford, ficou em segundo lugar. Sébastien Loeb (Citroen) minimizou as perdas ao ficar na terceira posição. Com este resultado Hirvonen volta ao primeiro lugar na classificação com 3 pontos de vantagem sobre Loeb.
No Rali da Finlândia, Sébastien Loeb recupera pontos e vence em casa do seu rival, Hirvonen, que fica em segundo lugar, contudo o francês da Citroen não consegue recuperar o primeiro lugar na classificação. Chris Atkinson (australiano) consegue terminar em terceiro lugar com o Subaru Impreza.
Cumpridos que estavam 9 dos 15 ralis a classificação do campeonato de pilotos estava assim definida: 1º Hirvonen com 67 pontos e 2º Loeb com 66 pontos. No mundial de construtores a Ford têm 108 pontos, mantendo a primeira posição, e a Citroen segue em segundo lugar com 105 pontos. ENegritontrava-se na fase decisiva dos campeonatos: o rali seguinte era o da Alemanha.
(continua)

07 junho 2010

Subaru Impreza WRC 07 - P. Solberg - P. Mills (Rali de Monte Carlo de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos – Fasc. nº 19.
A Subaru iniciou o campeonato de 2008 com o Impreza WRC 07, carro que tinha sido estreado no Rali do México do ano anterior. As diferenças em relação ao Impreza WRC 06 eram várias: “novos travões, capot, frente e pára-choques redesenhados para uma melhor gestão do ar de refrigeração do motor. Com a mesma intenção, o radiador de água foi instalado numa posição mais baixa e o intercooler montado mais a trás, recebeu uma nova gestão electrónica e novas árvores de cames. Modificaram-se as suspensões para melhorar a geometria da direcção e ganhar tracção.In fascículo nº 19.
O Suabru Impreza WRC 07, com 1230 kg de peso, dispunha de um motor de 1994 cc com uma potência de 300 cv Às 5500 rpm. A estrutura era em monobloco de aço com célula de reforço. A tracção era integral, com diferencial central activo e caixa electrohidráulica sequencial de seis velocidades.
Apesar das melhorias do Impreza, a Subaru não voltou aos tempos áureos em que vencia com frequência e disputava os campeonatos.
Durante o campeonato de 2008 a equipa Subaru teve ao seu serviço os seguintes pilotos: o ex-campeão Petter Solberg (norueguês) e o australiano Chris Atkinson.
A miniatura apresentada é o Subaru Impreza WRC 07 de Petter Solberg no Rali de Monte Carlo de 2008. A prova monegasca não decorreu de forma favorável a Solberg, que se viu ultrapassado pelo seu colega de equipa, Atkinson, que terminou em terceiro lugar, ao passo que o norueguês teve que se contentar com a quinta posição final. O mesmo aconteceu no campeonato: Atkinson terminou a época na 5ª posição (50 pontos), tendo conseguido 5 pódios (2 segundos e 3 terceiros lugares), Solberg foi 6º (46 pontos) e apenas conseguiu um pódio (um segundo lugar). A Subaru viria a terminar o campeonato de construtores de 2008 na terceira posição, sem vitórias, e muito distante da Citroen e Ford.

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
Os dois ralis seguintes, 6ª e 7ª prova do campeonato, tiveram como denominador comum os mesmos nomes: Sébastien Loeb e Citroen. Efectivamente, Loeb e a Citroen venceram os dois ralis o que significou a 4ª e 5ª vitória da temporada.
Deste modo o Rali da Italia, disputado na Sardenha, terminou com Loeb em primeiro, seguido dos dois Ford Focus de Mikko Hirvonen (finlandês) e Jari-Matti Latvala (finlandês). A Subaru terminou com os seus dois carros em 6º e 10º lugar, com Chris Atkinson a levar a melhor sobre Petter Solberg.
No Rali da Acrópole Sébastien Loeb venceu de forma tranquila e ganhou vantagem no campeonato visto que o seu rival na luta pelo título, Hirvonen, apenas terminou na terceira posição atrás de Petter Solberg. O piloto da Ford fazia na Grécia, com o segundo lugar, o melhor resultado que viria a obter ao longo de todo o campeonato. O outro Subaru, de Atkinson, sofreu problemas de suspensão e não terminou o rali, aliás a prova grega costuma ser bastante conhecida devido à sua dureza que causa bastantes problemas nas suspensões dos carros.
Após 7 ralis disputados o campeonato encontrava-se bastante disputado e a segunda metade da época prometia muita emoção. Loeb estava em primeiro lugar com 50 pontos e Hirvonen estava em segundo com 49 pontos; o finlandês fazia da regularidade a sua maior arma para contrapor às vitórias do francês da Citroen. No campeonato de construtores a situação era muito semelhante: a Ford (81 pontos) levava a dianteira com a Citroen (79 pontos) à distância de apenas 2 pontos.
(continua)

04 junho 2010

Ford Focus RS WRC 07 - M. Hirvonen - J. Lehtinen (Rali de Monte Carlo de 2008)

Esta miniatura pertence à colecção Rallye Monte-Carlo - Os Carros Míticos – Fasc. nº 3.
Para o campeonato de 2008 a grande alteração que a Ford sofria era ao nível da sua equipa de pilotos: o piloto finlandês Mracus Gronholm terminou a sua carreira de piloto no final de 2007 e agora era Mikko Hirvonen (finlandês) quem assumia a posição de primeiro piloto dentro da equipa de Malcolm Wilson. Para colmatar a saída de Gronholm dentro da sua equipa, Malcolm Wilson contratou o jovem piloto finlandês Jari-Matti Latvala.
A Ford iniciou o campeonato com o mesmo carro do ano anterior, o Ford Focus RS WRC 07 que teve a sua estreia no Rali da Finlândia de 2007. Este modelo foi a evolução natural do anterior, o Focus RS WRC 06. A nova evolução do Focus ficou mais leve (menos 20 kg) e sofreu outras intervenções ao nível da mecânica. De resto o seu aspecto é muito idêntico ao do modelo anterior.
A miniatura representa o Ford Focus RS WRC 07 de Mikko Hirvonen no Rali de Monte Carlo de 2008. Assim a Ford apresentou-se no Rali de Monte Carlo, primeiro rali do campeonato de 2008, com dois grandes objectivos: defender o título de marcas conquistado em 2007 (o último tinha sido em 1979) e tentar conquistar o de pilotos.
Contudo o campeão de 2007, o francês Sébastien Loeb, com o Citroen C4 WRC, este imbatível durante toda a prova e Mikko Hirvonen não dispôs de qualquer hipótese de lutar pela vitória. O piloto da Ford acabou por ficar na segunda posição final graças aos vários problemas que Daniel Sordo (espanhol), no outro C4 WRC, teve de enfrentar.

Continuação do Campeonato do Mundo de Ralis de 2008
Após a vitória no Rali da Alemanha, Sébastien Loeb partiu para o Rali da Argentina como o principal candidato ao primeiro lugar. Logo era a referência para os seus adversários. Disputado no final do mês de Março, a prova argentina foi dominada por Loeb que não deu quaisquer possibilidades à concorrência. Mikko Hirvonen apenas conseguiu terminar na 5ª posição graças à regra do SuperRali. O australiano Chris Atkinson, da Subaru, foi o segundo classificado e o colega de Loeb, o espanhol Daniel Sordo, foi o terceiro classificado.
A prova que se seguiu à Argentina foi uma estreia no mundial de ralis: o Rali da Jordânia. Desta vez foi Sébastien Loeb quem beneficiou com a regra do SuperRali, no entanto não conseguiu pontuar visto que terminou na 10ª posição. Assim Mikko Hirvonen aproveitou o facto de Loeb não pontuar e recuperou 10 pontos com a obtenção da vitória no primeiro Rali da Jordânia. Daniel Sordo não conseguiu impedir a vitória do Ford Focus do finlandês e terminou na segunda posição. Chris Atkinson, em boa forma e depois do segundo lugar na Argentina, ficou na terceira posição com o Subaru.
Com 5 ralis disputados o líder do campeonato era Mikko Hirvonen com 35 pontos seguido de Loeb com 30 pontos. A Ford seguia em primeiro com 57 pontos com a Citroen a 7 pontos de distância.
(continua)